Quais são os impactos da Covid-19 nos pequenos negócios?





Quais são os impactos da Covid-19 nos pequenos negócios?

Não é preciso pesquisar para perceber que a crise causada pelo novo coronavírus impactou os negócios, principalmente as micro e pequenas empresas – mas a pesquisa se faz necessária para entender a dimensão dos impactos da Covid-19 nos pequenos negócios. E foi isso o que fez o SEBRAE, instituição de apoio aos micro e pequenos empreendedores, ao entrevistar mais de 9 mil empresários de 27 estados do país.

Conheça os principais impactos da Covid-19 nos pequenos negócios

De acordo com a pesquisa do Sebrae, esses são os principais impactos da crise econômica atual nas pequenas empresas:

  • 89% dos entrevistados registraram queda no faturamento
  • 64% foi a queda média no faturamento do negócio

Os dez setores que registraram maior queda no faturamento foram:

  • Turismo (-88%)
  • Eventos e produções artísticas (-86%)
  • Moda (-74%)
  • Artesanato (-70%)
  • Beleza (-69%)
  • Academias e atividades físicas (-68%)
  • Serviços educacionais (-66%)
  • Comércio varejista (-63%)
  • Logística a transporte (-63%)
  • Saúde (-62%)

Em um momento de crise econômica é importante o empreendedor fazer uma reavaliação dos custos da empresa, identificando onde é possível reduzir gastos. Entre os entrevistados da pesquisa, 44% afirmaram que as despesas com aluguel e mercadorias são as mais pesadas. Custos com pessoal e com créditos tomados anteriormente também foram citados como importantes nos custos das empresas.

Ainda assim, reduzir gastos não significa necessariamente fazer cortes, mesmo que essa seja uma possibilidade. Existem outras maneiras de minimizar o impacto dos custos, como negociar valores, prazos e formas de pagamento com os fornecedores.

Além disso, a busca por crédito empresarial pode ser um caminho para aliviar o caixa. Também segundo a pesquisa do, 54% dos empresários declararam que vão precisar de crédito para manter a empresa em funcionamento sem gerar demissões. Outros 31% declararam ainda não saber se precisarão, enquanto apenas 15% declararam que essa não será uma necessidade.

De acordo com o levantamento, os dez setores mais propensos a tomar crédito para CNPJ nesta crise são:

  • Academias e atividades físicas
  • Agronegócio
  • Indústria
  • Construção civil
  • Oficinas e peças automotivas
  • Moda
  • Logística e transporte
  • Comércio varejista
  • Serviços de alimentação
  • Turismo

Se a opção for por buscar crédito empresarial, o empreendedor deve pesquisar as melhores linhas de crédito do mercado, que atendam as suas necessidades e caibam no orçamento da empresa. É muito importante que a parcela se ajuste ao fluxo de caixa, pois isso permitirá pagar o crédito com mais facilidade.

Você já conhece o modelo de crédito para empreendedores com parcelas flexíveis? O Tomático oferece essa modalidade a pequenas e médias varejistas. Acesse o FAQ e tire suas dúvidas.




Tire suas dúvidas! Estamos a disposiçao!