Como saber se a parcela do empréstimo pessoa jurídica cabe no caixa da empresa?





Como saber se a parcela do empréstimo pessoa jurídica cabe no caixa da empresa?

Vez ou outra uma empresa pode precisar recorrer a um empréstimo pessoa jurídica. Faz parte da vida de qualquer empreendedor, seja para ajudar no fluxo de caixa, fazer investimentos no negócio ou aproveitar uma boa oportunidade que apareça. O dilema de muitos donos de empresas é saber se contratar o crédito empresarial é mesmo uma boa saída. A parcela vai caber no caixa da empresa?

Os simuladores de crédito empresarial ajudam muito nessa hora. Basta entrar no site da instituição financeira, inserir o valor do crédito a ser contratado e o prazo de pagamento para saber qual será o tamanho da parcela a ser paga. Isso já vai dar uma boa noção para saber se a parcela cabe mesmo no orçamento da empresa.

É claro que, em um passo anterior, o empreendedor precisa ter informações suficientes sobre seu movimento de fluxo de caixa; isso significa saber o quanto entra e sai de dinheiro da empresa, pois só assim será possível ter uma noção mais exata do tamanho da parcela do crédito empresarial que cabe no orçamento. Também é importante que o empreendedor tenha em mãos as projeções financeiras, para saber quais são as perspectivas para os próximos meses. Esse planejamento financeiro vai ajudar a saber se a parcela do crédito empresarial realmente poderá ser paga com tranquilidade ao longo do ano.

Empréstimo pessoa jurídica com parcelas flexíveis

Existem no mercado instituições financeiras que fornecem crédito empresarial com parcelas flexíveis, o que facilita muito a decisão de captar recursos financeiros externos. Isso porque, nesses casos, a parcela paga pelo empreendedor varia de acordo com a sazonalidade das vendas.


É o que acontece no Tomático, por exemplo.


Ao conceder crédito para micro, pequeno e médio varejistas, o Tomático conecta sua plataforma às maquininhas de cartão de crédito e débito da empresa-cliente e, com isso, consegue saber o valor das vendas diárias daquele negócio. Pois bem. Com base nessas informações, a parcela é ajustada automaticamente para cima e para baixo. Assim, se as vendas aumentam, a parcela sobe e, caso o faturamento diminua, a parcela também acompanha o ritmo.


Esse ajuste automático dá muita tranquilidade para o tomador do crédito, pois ele tem a certeza de que a parcela do crédito empresarial caberá no seu fluxo de caixa.


Ainda tem dúvidas? Faça uma simulação e entenda melhor como funciona a parcela flexível.




Tire suas dúvidas! Estamos a disposiçao!